Ferroviário faz história ao derrotar o Sport nos pênaltis

Foto: Alexandre Gondim
Espetacular, heroico, emocionante... Sobram palavras para definir a classificação do Ferroviário para a 3ª fase da Copa do Brasil. Em jogo que parecia perdido, o time cearense fez o que muitos poderiam chamar de impossível: marcou três gols nos últimos 15 minutos de partida e arrancou um empate em 3 a 3 no tempo normal contra o Sport, ontem à noite, na Ilha do Retiro, em Recife.

O resultado levou a disputa da vaga para as cobranças de pênaltis. Com a frieza de seus batedores e um iluminado Bruno Colaço, goleiro autor de duas defesas, o Ferrão selou sua noite gloriosa com vitória por 4 a 3 nas penalidades, levando ao êxtase os torcedores e simpatizantes do Tubarão da Barra, que agora espera o vencedor de Vila Nova-GO x Joinville, jogo marcado para a próxima quinta-feira, em Goiânia.

Apesar da arrancada nos minutos finais, o Ferroviário mostrou desde o início do jogo sua grandeza, encarando o adversário de igual para igual, criando oportunidades e saindo para o jogo. Uma prova disso é que a disputa foi para o intervalo com sete finalizações para cada lado. Apesar disso, no placar, o Sport foi quem conseguiu balançar as redes, com Anselmo, aos 39min.

Na volta para o 2º tempo, o técnico Ademir Fonseca reorganizou o esquema tático, abrindo mão de um homem na linha de defesa para reforçar o ataque, com a entrada de Valdeci. O Ferrão seguiu ofensivo, mas com falhas na defesa.

O Sport aproveitou e fez 2 a 0 com Fabrício. E, novamente aproveitando as falhas de marcação, viu Marlone marcar o 3°. O cenário era adverso, mas o Tubarão foi pra cima. A reação teve início com gol de Mazinho, em cabeceio após cobrança de escanteio, aos 30 minutos. Embalado, o volante fez mais um, mostrando oportunismo. E coube a Valdeci, aos 41, incendiar o jogo e deixar tudo igual.

Incrédula, a torcida do Sport vaiou o time na saída do jogo, enquanto os jogadores conversavam entre si tentando entender o que havia ocorrido. Nas disputas por pênaltis, as sete primeiras cobranças foram convertidas. Até o chute de Rogério parar nas mãos de Bruno Colaço. Mota teve a bola do jogo, mas viu seu chute ser defendido por Magrão.

Mas o erro do veterano foi compensado com nova defesa de Colaço, catando a cobrança de Marlone e classificando o time. Fim de papo e muita festa. Como diz a máxima do futebol cearense, “tem coisas que só acontecem com o Ferroviário”.

O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.