Alta no PIB reforça saída do País da crise econômica

Foto: O Povo
O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil apresentou alta de 1,4% na comparação contra o 3º trimestre de 2016, e de 0,1% entre julho e setembro passados ante o segundo trimestre (abril a junho). Com o terceiro período seguido de expansão, apesar da reação lenta, a economia brasileira sai definitivamente da crise e a previsão é de resultados positivos para os próximos anos. A tendência é que o Ceará siga o caminho do crescimento.

Os dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram comemorados, principalmente por causa da retomada dos investimentos. A taxa de investimento no terceiro trimestre de 2017 foi de 16,1% do PIB. Este foi o primeiro crescimento dos investimentos após 15 trimestres seguidos de queda.

Além disso, os resultados mostram que a agropecuária caiu 3%, enquanto indústria e serviços cresceram, respectivamente, 0,8% e 0,6%, puxados pela indústria de transformação (1,4%) e pelo comércio (1,6%). Outro fato positivo foi a revisão dos dados do primeiro e do segundo trimestre que jogaram o acumulado no ano para cima.

Estado

Para o coordenador de Contas Regionais do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), Nicolino Trompieri Neto, apesar da resultado para o País não ser tão forte, a expectativa de crescimento para todo o ano de 2017 praticamente foi alcançada. Segundo ele, o PIB do Ceará deve ser divulgado até a segunda semana de dezembro e seguir a mesma tendência de alta do País.

Ele explica que a população ainda não consegue perceber sinais da melhoria por causa da alta taxa de desemprego. “Essa é uma das últimas variáveis a cair de forma mais significativa no processo de recuperação da economia”, diz, ressaltando que consumo das famílias e volta do investimento vêm antes.

Rota de crescimento

O economista Sérgio Melo diz que este crescimento do PIB confirma as previsões de que o Brasil saiu de fato da recessão e entrou em rota de crescimento. “Muito embora timidamente, por falta de reformas estruturantes, principalmente a da Previdência Social e a tributária”, ressalta.

Na opinião do especialista, enquanto o País não tiver aprovadas tais reformas, continuará tendo enormes dificuldades de atrair investidores, sejam eles nacionais ou estrangeiros. “O PIB do Ceará também vem positivo em 2017, principalmente em função da CSP (Companhia Siderúrgica do Pecém) e empresas satélites a este gigantesco empreendimento”, considera Melo. Excluindo a participação da CSP no PIB do Ceará, o Estado está em linha com o crescimento médio nacional.

O economista Luís Eduardo Barros avalia que o crescimento de 0,1% deve ser visto como bastante positivo, pois inclui uma alta de 0,8% da indústria, que somente não foi maior pela redução do PIB agrícola em relação ao trimestre anterior, mesmo tendo sido mais de 9% maior que o mesmo período de 2016. “O consumo das famílias aumentou mais de 2%, o que deveria ser a medida do PIB nacional se não fosse o crescimento do PIB agrícola do trimestre anterior”, analisa.

Indicadores

De acordo com o IBGE, a alta do consumo das famílias foi influenciada pela evolução de alguns indicadores macroeconômicos ao longo do trimestre, como a desaceleração da inflação, a redução da taxa básica de juros e o crescimento, em termos reais, da massa salarial.

No entendimento de Luís Eduardo, dados como esses evidenciam o processo de recuperação da economia, sinalizando que o Brasil está saindo da crise. “Ainda não saiu o PIB do Ceará no 3º trimestre, por isso não é possível comparação objetiva. Mantida a tendência, o PIB do Ceará deve continuar mostrando recuperação mais forte que a do País”.

Trimestres

O PIB no terceiro trimestre de 2017 totalizou R$ 1,641 trilhão, sendo R$ 1,416 trilhão referentes ao valor adicionado a preços básicos (produção, importação e consumo) e R$ 225,8 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. O IBGE revisou o PIB do primeiro e segundo trimestres. Passou de 1% para 1,3% e de 0,2% para 0,7%, respectivamente.

Fonte: O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.