Plano de caminhabilidade promete melhor estrutura para pedestres em Fortaleza

De acordo com o levantamento feito por uma multinacional em serviços de qualidade de vida, o brasileiro está andando a pé. O motivo deve-se à crise econômica e ao aumento do preço da gasolina, que elevaram o custo de vida no Brasil e tornou o deslocamento de carro mais elevado. As informações são da Tribuna Bandnews.
Diante da maior circulação de pedestres, as condições das calçadas do país estão sendo criticadas pelas suas condições e gestores repensam na estruturação das vias. Em Fortaleza, está em curso a implantação do novo plano de caminhabilidade que promete estabelecer algumas regras para a área.
Enquanto não há melhorias nas calçadas de Fortaleza,  os fortalezenses enfrentam os desafios ao caminhar pela cidade. Essa realidade é bem conhecida pelo carteiro Pablo Albuquerque, que costuma andar cerca de 15 km por dia. “As calçadas quando elas existem não seguem nenhum critério de padronização. Como a gente anda com bolsas pesadas, quando há uma ascensão da calçada ou descensão da calçada, ocasionada fraturas ou torções”, conta.
Além da falta de padronização, a ocupação irregular do espaço também dificulta o trânsito de pedestres na capital. A repórter Daniella de Lavor, da rádio Tribuna Bandnews, constatou um restaurante que ocupou a calçada com mesas no cruzamento da Rua Eduardo Garcia com a Rua Leonardo Mota, no bairro Aldeota. “Há uma grade de proteção. Quem vem da rua Leonardo Mota, precisa sair da calçada e andar entre o carros”, disse a repórter.
Tecnologia do Blogger.