Casal é preso suspeito de colocar sonífero em suco para estuprar garotas em Ubajara

A Polícia Civil investiga marido e esposa suspeitos de dopar estuprar garotas em Ubajara, a 304 quilômetros de Fortaleza.
Duas garotas já tiveram os abusos sexuais constatados por exames feitos pela Perícia Forense. O casal foi preso em flagrante no último sábado (4). Eles negam o crime.
modus operandi descrito pelas vítimas é semelhante, conforme o Conselho Tutelar: a mulher, de 21 anos, aliciava as garotas oferecendo vagas de emprego, seja de babá, para o filho de três ano do casal; seja para uma empresa em que ela trabalhava.
As abordagens às garotas aconteciam aleatoriamente, conta o delegado Rubani Pontes Filho, ocorrendo até mesmo em feiras de rua.
Outras seis garotas já denunciaram ter recebido esse convite, conforme o conselheiro tutelar Pedro Costa. No entanto, o delegado Rubani Pontes Filho conta que o estupro não foi consumado nesses casos, por motivos alheios à vontade dos criminosos.
Durante as conversas de acerto das vagas de emprego, era oferecida merenda às jovens. A suspeita é de que no suco ofertado — geralmente, de uva — tenha sido colocado algum tipo de sonífero. As vítimas perdiam os sentidos por cerca de uma ou duas horas, e o homem, de 23 anos, consumava o abuso. “Após o estupro, eles já partiam para as próximas vítimas“, conta o conselheiro tutelar Pedro Costa.
Um dos indícios em desfavor do casal, conta o delegado, é uma embalagem vazia de rohypnol, popular medicamento que induz ao sono, apreendida por policiais civis na casa dos suspeitos nesta quinta-feira (8). Cumprindo mandado de busca e apreensão, os agentes ainda apreenderam computadores e celulares, que serão submetidos a exames da Perícia Forense.
O caso veio à tona na sexta-feira (3). Naquele dia, o Conselho Tutelar tomou conhecimento da história de uma menina de 14 anos, encaminhada a um hospital ao passar mal depois de desmaiar ao tomar o suco na casa do casal.
No hospital, a suspeita de estupro foi corroborada. O Conselho Tutelar, então, acompanhou a adolescente a uma unidade da Perícia Forense em Sobral, a 95 quilômetros de Ubajara, onde o abuso foi atestado.
Tecnologia do Blogger.