Atleta do Ironman Brasil está desaparecido na Praia de Iracema

Foto: Tatiana Fortes
Um atleta de alta perfomance que participa do Ironman Brasil, em Fortaleza, está desaparecido nas águas do mar da Praia de Iracema, próximo ao Marina Park Hotel. A assessoria do evento confirmou o desaparecimento de Genilson Lima, de numeração 919. Uma fonte ouvida pelo O POVO, que participa das buscas pelo atleta, informou que os botes saíram de seus pontos às 7h50min à procura do homem. Um intervalo aconteceu por volta das 10h30min e as buscas recomeçaram, mas dessa vez com um raio de inspeção maior.

De acordo com informações do relações públicas e comandante de operações da Ciopaer, Marcus Costa, uma aeronave foi acionada ao local por volta das 8h30min deste domingo, 26, depois que a ausência do atleta foi percebida pelos organizadores do evento.

“A prova de natação tinha acabado e se percebeu que o chip da bicicleta do atleta não tinha disparado. O que dá a entender que ele não saiu do mar. A equipe realizou buscas no local e sobrevoou a região por volta de uma hora, mas ninguém foi encontrado até o momento”, contou. As informações foram repassadas ao comandante por bombeiros que participam das buscas. Equipes do Corpo de Bombeiros, Marinha e Guarda Municipal também estão na operação.

A natação foi a primeira prova do dia, que teve o Marina Park Hotel como base para largada e saída. Na sequência, os competidores partiram para o ciclismo pela CE-085. Foi justamente o momento em que se percebeu a ausência do atleta.

Conforme a porta voz do Corpo de Bombeiros, capitã Juliany Freire, as buscas estão sendo feitas por mergulhadores. Até o momento, não houve nenhuma localização do atleta no mar. "No momento que a prova começou, tínhamos 51 guarda-vidas fazendo a prevenção. Após o incidente, como não era possível uma visualização da superfície, os mergulhadores foram acionados", explicou. A capitã também tenta contato com os responsáveis pela operação, mas não há sinal telefônico pela localização da embarcação.

Segundo o tenente-coronel Holtayne Pereira, do Serviço de Salvamento Marítimo do Corpo de Bombeiros, cinco mergulhadores e quatro guarda-vidas formam as três equipes que estão em busca do atleta. A profundidade no perímetro da prova, conforme ele, é de no máximo sete metros, o que facilita as buscas. “Estamos trabalhando com várias hipóteses, inclusive de ele poder ter saído no meio da prova, mais para a Leste-Oeste, e ainda não ter voltado. Estamos tentando cercar”, afirmou. O oficial destacou que a segurança da prova estava bem dimensionada e que nunca ocorreu nenhum acidente grave em competições no mar.

Cerca de mil triatletas estavam inscritos na competição que envolve 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21,1 km de corrida.


Com informações de Eduarda Talicy e Redação O POVO Online

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.