Após acordo com Maia, Temer quer votar reforma da Previdência este ano

Foto: Divulgação
A reforma da Previdência pode avançar na Câmara dos Deputados e ser votada já no próximo dia 6 de dezembro, depois de acordo entre Michel Temer (PMDB) e o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A aproximação entre os dois ocorre após indicação do deputado Alexandre Baldy, um dos principais aliados de Maia, para o Ministério das Cidades.

O nome de Baldy já vinha sendo articulado pelo presidente da Câmara desde outubro e tem apoio do PMDB e de partidos do “Centrão”, entre eles o PP, sigla à qual Baldy irá se filiar no próximo sábado, dia 25. Esses partidos barganham cargos e liberação de emendas desde que as votações das denúncias contra Temer foram parar na Câmara.

Com pressa para aprovação, o Planalto decidiu emplacar uma reforma previdenciária mais “enxuta”. Temer decidiu tirar da reforma itens que mudavam a aposentadoria rural, o benefício de prestação continuada (idosos de baixa renda) e o tempo mínimo de contribuição.

Mesmo com as alterações, deputados da base ainda consideram difícil conseguir os 308 votos necessários para a aprovação da reforma. Com prazo apertado, Maia deve se encontrar nesta terça-feira (21) com os líderes dos partidos da base para articular os apoios. Na quarta-feira (22), os deputados participarão de um jantar com o presidente Temer, onde ele vai apresentar o texto da reforma, após o enxugamento.

Com a revisão da proposta sobre aposentadoria rural e o benefício para idosos de baixa renda, o deputado acredita que os apoios podem aumentar. “Os deputados do Nordeste estavam resistentes. Diziam que não dava pra votar como estava, porque mataria os velhinhos”, diz Peroni.

Com informações O Povo e agências de notícias




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.